Transparência

Balanço de atividades semestral

Durante os seis primeiros meses de 2021, a Comissão de Defesa Civil de Belém registrou 1.634 vistorias técnicas. Junho foi o mês com o maior número de registros, 336, uma média de onze por dia. As vistorias técnicas são decorrentes de demandas públicas e privadas recebidas na sede da Defesa, de forma presencial ou virtual. No geral, os motivos mais comuns registrados foram risco de desabamento e rachaduras em imóveis, danos sofridos em decorrência de vendavais, alagamentos e incêndios.

As demandas são classificadas como públicas quando a Defesa Civil de Belém é acionada pelo Centro Integrado de Operações (Ciop), pela Defesa Civil Estadual e também por órgãos públicos municipal, estadual ou federal. As solicitações de vistorias feitas por proprietários de imóveis são classificadas como privadas, a fim de organização.
Entre as principais ocorrências registradas de janeiro a junho estão o atendimento às famílias vítimas de alagamento em Icoaraci; às atingidas por vendaval no Tapanã e Pratinha; às desabrigadas por conta do incêndio na Cremação e na Vila Itália, em Icoaraci.

Em janeiro, a Defesa Civil de Belém prestou assistência às famílias vítimas dos alagamentos causados pelas fortes chuvas, que atingiram o distrito de Icoaraci no dia 25. No mesmo mês, a Defesa Civil do Município, realizou um levantamento das casas atingidas por um princípio de tornado, na tarde do dia 26, nos bairros do Tapanã e Pratinha. A Defesa Civil montou um ponto de atendimento na quadra da Escola Municipal Professora Alda Eutrópio de Souza para oferecer assistência aos afetados.

Menos de um mês depois, a Defesa Civil auxiliou as famílias vítimas do incêndio ocorrido no bairro da Cremação, no final da noite do sábado, 6 de fevereiro. O sinistro atingiu 15 casas, sendo dez com perda total e cinco com perda parcial, todas localizadas na Vila Goiabeira, na rua Fernando Guilhon. Agentes da Defesa Civil estiveram no local assim que tomaram conhecimento do fato e estabeleceram contato com as famílias vitimadas, prestando orientação e assistência.

A Defesa Civil Municipal também promoveu uma campanha de arrecadação de donativos para as vítimas. Já na manhã do domingo, 7, uma equipe do órgão realizou as vistorias nas residências atingidas, fazendo o levantamento dos danos para a emissão do relatório de vistoria técnica, documento necessário para concessão de auxílio aluguel, por parte do município, e do benefício Sua Casa, por parte do Governo do Estado.

Prevenção

Como forma de prevenir acidentes e orientar sobre como agir em casos de emergência, a Comissão de Defesa Civil Municipal deu início, durante o primeiro semestre de 2021, ao mapeamento de áreas de riscos geológicos e ao projeto “Sextou na Feira”, sendo o primeiro realizado em parceria com a Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais (CPRM) – Serviço Geológico do Brasil.

Em fevereiro, a pedido da Defesa Civil de Belém, a Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais (CPRM) – Serviço Geológico do Brasil iniciou a atualização e ampliação do mapa de riscos geológicos em Belém, distritos e ilhas. O trabalho com os geólogos vinculados o Ministério de Minas e Energia tem caráter preventivo, uma vez que o levantamento servirá como base para as ações desenvolvidas, em conjunto com outros órgãos governamentais, para redução dos impactos causados pela ação da natureza e do homem. Já foram mapeados os distritos de Mosqueiro, Outeiro e Icoaraci e as ilhas de Cotijuba, Combu, Ilha Grande e Maracujá.

No projeto “Sextou na Feira”, as equipes da Defesa Civil se dirigem às feiras da capital e distritos, sempre às sextas, para informar feirantes e consumidores sobre os serviços prestados e realiza a entrega do informativo JOÃO TORÓ, com orientações relacionadas à destinação correta de lixo e entulho, sobre a atenção redobrada durante a maré alta e chuvas, principalmente quando acompanhada de vendavais, levando sempre em consideração a relação cultural da população com esses fenômenos que fazem parte da vida da cidade desde sempre. Até o presente momento foram visitadas 11 feiras e mercados e até Dezembro de 2021 serão visitadas pelo projeto as demais 38 feiras e mercados cadastradas pela Secretaria Municipal de Economia (Secon)